Machu Picchu – By João / Por João

 
Hey it’s João and today we will be talking about Machu Picchu, hope you enjoy.

When we went to the city where it is, there were loads of insects and geckos everywhere, specially by the river in the middle of the city.

João Machupicchu

Le little gecko

Le little Gecko.

Melissa didn’t like the bugs, neither did Coral, but I LOVED them, even if they were huge and a bit creepy.
José, well. He’s José. He didn’t really like them, but didn’t hate them either.
Ok. On the bus to Machupicchu, the way was a huge slope, since the place is a mountain, so we had to go in a Zigzag-like pattern, so the bus would not fall backwards and everyone would die.
So when we got there, there is the entry and stuff, we showed the tickets and everything, and we were in.

Machupicchu joao

Let view from somewhere near the entrance.

Le view from somewhere near Le entrance.

These ruins were from the Inka, one of South Americas indian tribes, and were made by slaves, atop the mountains.
If I’m the only Archeological Enthusiast here, some people who are reading might not understand some things.
Anyways, we were there for quite a while, and we decided to go to the Inka Bridge.
Mom doesn’t like bridges, so she didn’t want to go, but we weren’t going to go on the bridge itself, so she went. Even if she stopped in the middle of the hike.
So, me, dad and Melissa kept going. On the way, we saw a snake, (legit!!!) but it passed quickly and we were “in shock” so we didn’t manage to take a photo.
Anyways, when we reached the Inka bridge, we were disappointed. We expected something… better, but all it was is 3-7 planks of wood, put in between 2 rocks.

João Machupicchu

A wall at Machu picchu.

We were walking around the place with no more specific aim, when we went to the Mach Picchu mountain itself, where there were a bunch of llamas. And a bunch of photographists, taking photos of the lovely llamas.
When me and José sat down, and a llama walked up and put it’s head in between us.
Me and José got up, when I heard running.
Everyone was moving to the side of the path, when I saw 2 llamas running in our direction.
I told José who wasn’t looking to get to the side, and we almost got ran over. Almost.

Llama Peru João Machupicchu

Le seriallama killers

 

2 things I realized.

1. 70 percent of the people there are tourists. Then again, what would you expect. This is a tourist site. Most of them either speak English or Portuguese.
2. When me, José, Melissa, mom or dad are taking photos, everyone else walks in the way. When Coral is, everyone stops, and waits, and keep touristing.
Oh well.

Window Picchu João

Looking through the window

This is where we’ll be leaving this post, if you enjoyed, please comment, and I’ll see you next time.

Oi, é o João e hoje a gente vai ter um post sobre Machupicchu, espero que goste.

Quando a gente foi pra Águas Calientes, a cidade aonde Machu Picchu esta, tinha um monte de insetos e lagartos todo qualquer canto, especialmente no rio no meio da cidade.
A Melissa não gostou dos insetos, a Coral também não, mas eu AMEI. Mesmo se eles eram gigantes e meio medonhos.

O Zé, bem. Ele é o Zé. Ele não gostou, mas não odeiou.
No ônibus a Machupicchu, a rua era em diagonal, já que esse lugar é uma montanha, então a gente tive que ir em um zigue-zague, se não o ônibus cairia e tudo mundo morreria.
Quando a gente chegou, tem a entrada é tudo, mostramos nossos tíquetes, e a dentro estamos.

Essas ruínas eram dos inka, um dos índios da América latina, feito por os escravos, em sima da montanha.
Se sou o único entusiástico por arqueologia, talvez alguns de vocês não entendem algumas coisas.
A gente andou por um tempo, e a gente decidiu ir pra a Ponte Inka.
A mãe não gosta de pontes, então ela não quis ir, mas a gente não ia ir na ponte.
Então, ela foi. Mesmo se ela parou no meio do caminho.
Então eu, o pai e a Melissa continuamos indo. No meio do caminho a gente vimos uma cobra (serião!), mas ela passou muito rápida então a gente não conseguimos tirar fotos, por que estávamos em “choque”.
Continuando, quando chegamos na ponte inka, a gente ficou triste que fomos todo o caminho.
Era alguns pedaços de madeira em cima de duas pedras.

Agora a gente não tinha mas nenhum lugar específico que a gente queria ir, até a gente ir pra a montanha de Machu Picchu em si, e achamos um monte de lhamas.
É um monte de pessoas tirando fotos das lhamas.
Eu e o Zé sentamos, até uma lhama colocou a cabeça dela entre as nossas, então eu e o Zé andamos pra longe.
Aí eu ouvi algo correndo. Eu olhei, e vi duas lhamas correndo na nossa direção. Eu falei pro Zé ir pro lado, e quase fomos atropelados por lhamas.
Quase.

2 coisas que notei.

1. 70 porcento das pessoas são turistas. Mas né, estamos em Machu Picchu. É um dos lugares mais turísticos do mundo. E maioria deles falam ou inglês ou português.
2. Quando eu, a mãe, o pai, a Melissa ou o Zé tiram fotos, todo mundo passa na frente. Quando é a Coral, tudo mundo espera, e depois passa, pra ver mais coisas.
Meh.

Uma coisa. LEVA REPELENTE. EU ESTOU COÇANDO ESCREVENDO ESTE POST.

Aqui vou acabar este post, se gostou, deixa um comentário, e te vejo na próxima. Tchau!

3 replies
  1. Tatiana Saito
    Tatiana Saito says:

    Caraca, que sacanagem! Só param de passar quando é a Coral tirando foto! HAhahaahahahahahah

    Não sei como você pode gostar de insetos! Isso é muito louco! Eu fico agoniada com insetos.

    Reply

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply